Política Necessária

Por: Profa. Liduína Tavares
Foto: politize.com.br

Convidada a escrever sobre Política enchi-me de temor de não cair no lugar comum do termo e incorrer a escrever linhas de sentimentos que são externados na internet e propagados via whatsApp, muitas vezes sem qualquer critério. Por isso, vou-me restringir, nesse primeiro texto a tratar da Política necessária, levando em conta conceitos analisados em algumas bibliografias consultadas, lembrando uma pesquisa que fiz ao longo dos meses de junho a dezembro de 2017.

Começo pela pesquisa que não resultou em nenhum dado. Compartilhei no WhatsApp a seguinte provocação: qual o seu melhor conceito de política?Se não for de sua concepção, cite o autor e comente o achado. Ninguém contribuiu! Estranhei que todos os demais temas propostos por mim ou por outros membros dos grupos recebiam alguma contribuição, porém, Politica não atraiu.  Então, resolvi compartilhar aqueles dos quais já havia me apropriado para discussão ou para reflexão.

Para nossa compreensão, o termo Política vem da palavra grega pólis (politikós) = cidade, ou seja, aquilo que é público, que é de todos. E ainda, de acordo com o dicionário de filosofia: a) A coisa política, o fato político; b) Teoria do governo dos Estados; ação de governar o Estado.

Sem perder de vista e sem descartar a crítica à hostilidade de Aristóteles ao defender que a propriedade não deve ser limitada, mas sim a população, e ainda à mulher e aos escravos, é desse filósofo e escritor da Grécia antiga que eu extraio o melhor conceito. Aristóteles compreende a Política como a ciência que tem por objeto a felicidade humana. Então já vejo contemplado aí o gênero humano.O filósofo divide a Política em ética e a política, propriamente dita.

Trago para esse texto a ética que trata do bem e do mal, do bom e do mau. A ética proposta por Aristóteles aponta para a felicidade individual do homem na pólis. O homem precisa viver feliz na cidade. Embora aceitando a complexidade do que é viver feliz, é assertivo imaginar-se sujeito pleno, satisfeito, estável.

Já ao tratar da política, propriamente dita, aponta para a felicidade coletiva da pólis. É boa a felicidade individual, mas como ser social é igualmente bom e mais necessária a felicidade coletiva. Daí minha compreensão de Política como o zelo pelo bem individual sempre em consonância ao bem coletivo. Os ensinamentos de Cristo para que eu ame o meu próximo como a mim mesmo me incumbe da missionária atitude de querer a minha e a felicidade do meu irmão.

Essa Política ocupada do bem estar social trazida como sinal de esperança após a crise do Estado e da Democracia, aponta para novas práticas de Política e de políticos. Essa nova fase traz a Política necessária a qual deve deixar de ser centrada nos interesses do capital financeiro e passa a ser centrada nos interesses da sociedade, principalmente daqueles que estão marginalizados.

A Política necessária, obrigatoriamente, faz opção preferencial pelos pobres como bem  referenciada no Vaticano II, em Medellín, Puebla e Santo Domingo, trazendo à prática o respeito à dignidade da pessoa humana, oportunizando ao gênero humano todas as políticas públicas que lhe assegure viver bem.

#compartilhe